quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Amigos

Desconheço o autor da imagem



“A gente não faz amigos, reconhece-os.”
(Vinícius de Moraes)


Não existem maus amigos! Se são maus conosco, são inimigos, e se não são nem bons nem maus, são apenas conhecidos. Portanto, por sofismo barato, concluo que todos os meus amigos são bons e isso faz de mim uma pessoa mais contente, já que não existem tantas sensações prazerosas quanto a conivência, a identificação e a cumplicidade.
Acho curioso observar meus amigos e deles tiro a amostragem para compreender o resto do mundo; a despeito deles serem totalmente atípicos.
Que saibam que são apenas reflexões dessa mente presentemente ociosa e sem inspiração para poesias, nada havendo de científico nessas minhas conjecturas sobre as diversidades de amigos que encontrei durante a minha vida. Só especulações...
Existe uma categoria de amigo que é totalmente intrometida. Não no sentido ruim da palavra, mas na acepção mais generosa que o “intrometimento” pode ter.
É do tipo que quando “acha” que você está doente, já sai marcando médico, liga para lembrar da consulta e dá um jeito de vir lhe buscar, quer você queira ou não. Dá conselhos, não se exime e, o pior (ou melhor): fala sempre a verdade! Diz onde e porque você está errado e quando está sendo chato. Com certeza, apesar de aparentemente inconveniente, é o melhor da classe.
Não menos apreciado, é aquele tipo de amigo que respeita suas vontades. Respeita tanto que não se intromete e procura guardar para si o que pensa. Só expõe sua opinião em último caso, e se (nesse último caso), não for lhe magoar. Poderia ser considerado omisso, mas sua qualidade está exatamente na preocupação em acatar suas escolhas. Isso é tão importante para ele, que se preocupa, mas não dá palpite. Também é um grande cara.
E quem não possui um amigo “diabinho”? Aquele que quer que você seja feliz a todo custo, mesmo que suas ações possam lhe acarretar transtornos? É aquele que lhe enche de bebida para diminuir a sua tristeza, empurra você para situações confusas, tudo em nome de uma boa farra ou da alegria. Um pouco inadequado, mas de boa intenção (ou não).
Existe também o amigo que partilha apenas as festas e os bons momentos. São absolutamente companheiros nesses momentos. Só não conte com eles nos momentos de tristezas, pois são como lindos pacotes de presentes embrulhados. Trazem felicidade mesmo quando o conteúdo é discutível. São efêmeros como a alegria, mas sempre fazem a diferença quando estão por perto. E isso também é muito importante.
E o amigo distante? Aquele que você conviveu um tempo e vai amar para sempre e quase nunca encontra, mas quando isso acontece - mesmo raramente - é como nunca se tivessem separado.
Mas, a nova e espetacular categoria de amigos dos últimos tempos é o amigo ‘virtual’!
Eu que circulo pelo universo dos blogs de literatura (crônicas, poesias e afins) e artes em geral, tenho encontrado gente apaixonante. Artistas e escritores talentosos. Pessoas que despertam em mim todo o tipo de bem querer. Comovem-me, me fazem rir e chorar com poemas inesperados, textos magníficos, desenhos, fotos e imagens surpreendentes, havendo ainda um diálogo virtual inusitado. Uma troca rica de muitas formas.
São dezenas, ou para ser menos acanhada, centenas de pessoas que me cativaram e, por mais insensato que pareça, são muito importante na minha vida. Tenho vários ‘amigos virtuais’ (alguns anônimos), que partilham com generosidade, o amor à arte. De muitos deles, só sei o nome ou um pseudônimo, uma foto ou imagem que se atribuem.
Eu me identifico com a poesia e/ou textos de uns, sinto me fascinada pelo bom humor de outros, tenho um carinho inexplicável por alguns, que ultrapassa a compreensão, e quase posso saber o que sentem, o que pensam e como são, mesmo sem ter ouvido a voz.  Isso tudo acontece dentro desse universo “paralelo” e esdrúxulo da internet.
Existe, aliás, uma ampla produção artística de grande qualidade disponibilizada pela “blogosfera” que acredito, representa uma nova Era da produção literária desse país (desconsiderando os equívocos e equivocados), mesmo que a dinâmica do “Facebook” esteja esvaziando alguns blogs, o que é um pouco desanimador.
Alguns dos meus mais queridos escritores desistiram, desapareceram, e sinto muita falta deles. Outros resistem, e isso me deixa feliz.
Voltando ao assunto, eu não quero trocar meus amigos reais pelos virtuais, mas gostaria muito de adicioná-los à minha convivência real.

24 comentários:

✿ chica disse...

Amigos são tudo de bom! E vim desejar que teu NATAL seja lindo, cheio da alegrias e tudo que desejares! beijos,chica

Primeira Pessoa disse...

uai,
mas já tâmo junto.

e, misturados.
é assim que sinto.

abração do

roberto.

Celso Mendes disse...

Essa categoria de amigo virtual é a que mais ando tendo ultimamente. Nada contra os "palpáveis", claro, mas acabo ficando muito mais na frente de um computador do que em rodas de amigos ultimamente, até pela rotina de trabalho, pouco tempo para a família, etc. etc. etc. (onde se inclui a preguiça). Gostei demais do texto. Aliás, nem sabia desse seu espaço. Muito bom conhecer.

Beijo, e ótimas festas minha amiga (virtual ou não, amigos são amigos!).

Marcantonio disse...

Poxa, Rossana, acho que você definiu de modo perfeito essa nossa experiência na rede, e o que menciona a respeito da arte é muito acertado. De minha parte, é uma satisfação enorme figurar na sua lista, e ao lado de gente que também prezo muito. Sem dúvida que a gente tem aqui uma sensação especial de pertencimento, embora, como você disse, essas relações na maior parte das vezes não sejam presenciais.

Obrigado pela menção e saiba que lhe tenho o maior carinho e admiração!

Um beijo.

Luna Sanchez disse...

Querida Rossana, obrigada pela lembrança e delicadeza.

Um beijo carinhoso.

Feliz Natal.

Lara Amaral disse...

Amigos virtuais têm um espaço muito especial na minha vida. É uma alegria grande ter te conhecido, alminha-gêmea.

Beijo grande, obrigada por me incluir na sua dedicatória e dedicação =).

byTONHO disse...



AM.ig.Os!

Não acredito!
Nunca ganho nada,
agora ganhei um lugarzinho na tua LISTA!
Ganhei meu dia...

"Eu só tenho amigos Vir.TU.ais...
na vida real sou 'sem palavras...só imagens'..."

:o)

Flavio Ferrari disse...

Seria um grande prazer adicioná-la na rede social da convivência real, querida Rossana. Quer tomar um café ? rs ...

Zélia Guardiano disse...

Rossana , minha querida
Tenha certeza de que a recíproca é verdadeira!
Adorei o seu texto e identifiquei-me sobremaneira com ele, pois o seu sentimento é o meu sentimento. É exatamente como você que penso a respeito de meus amigos virtuais, entre os quais você está incluída, desde o momento em que a conheci!
Você tem uma cadeira cativa dentro de meu coração!!!
Feliz Natal, minha linda,e um ano novo repleto de saúde, paz, harmonia, amor, prosperidade e alegria!!!
Mil beijos carinhosos da
Zélia

Daniela Delias disse...

Ross, isso aqui é mto real, sabe. Amizades bonitas demais. Lindo texto, fala muito da gente mesmo!!!

Beijão com carinho,
Dani

Assis Freitas disse...

estamos juntos, isso é o que importa, independente das geografias



beijo

Solange Maia disse...

Rossana...

querida amiga virtual, que aprendi a amar mesmo sem "conhecer"...

sair do virtual ???
é só marcar !!!!

beijo enorme e carinhoso

Whesley Fagliari disse...

Rossana,

Você conseguiu o improvável: superar-se! Menina, que coisa linda e deliciosa de ler... Espaço novo, talento antigo renovado! Parabéns! Estou contigo aqui tb...

"Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade"!

Essa canção do Raulzito (bom e velho) é a mais clara expressão do que sintetiza a definição de amizade... Obrigado pelo carinho! Vc é muito especial, uma das primeiras Amigas da Sofia... Para sempre!

Vida longa ao "Tudo é Assunto..." Bjs!

Luz e Paz!

Wania disse...

Rossana querida!

Tua prosa é a mais pura verdade e só serve para nos mostrar que amor é sentimento mais lindo que existe e que só ele é capaz de promover laços entre as pessoas e, inclusive, entre àquelas que nunca sequer se viram. E por vir da Alma, sobrepondo-se à matéria, consegue estabelecer vínculos que a própria razão, com toda a sua sapiência não sabe explicar!

Acredito que este seja todo simples mistério da vida que a gente ainda não conseguiu vivenciar plenamente e que quando isso acontecer, experimentaremos este sentimento, que hoje temos por alguns, por todos!


Amiga, tenho uma afeição e um carinho enoooorme por ti e tenho a certeza que a convivência real só iria estreitar ainda mais estes nosos laços, mas isso é só um detalhe tão pequeno entre nos duas...rsrsrs, que não afeta a nossa amizade!

Olha, aproveito para desejar um Natal iluminado e um 2012 pleno de realizações e inspirações, que as pedras sejam tudo, menos pedras! ;)))

Bjão carinhoso pra ti,
Wania

Wania disse...

AAhhh, teu texto me inspirou tanto que esqueci de dizer que fiquei imensamente honrada de fazer parte da tua lista! :)))))

Bjs, agora fuiii!

Cris de Souza disse...

esse texto é porta voz de todos nós! eu sou uma mistura da que marca médico e com a que dá bebida...

saiba que embora sejamos amigas virtuais minha afeição e carinho por ti e tantos outros que aqui estão são reais - sinceramente.

te quero muito bem!

beijão, rou rou*

NDORETTO disse...

Venha cá,minha amiga,sente-se e tome um chopp comigo!!!!

Adorei sua crônica!!!!!

Abraço enorme \O/

NDORETTO disse...

e FAZER PARTE DA SUA LISTA É MELHOR AINDA!!!!!

Adriana Karnal disse...

poxa Ross, eu estou ali logo no início, tu não sabes como isso me deixa feliz, querida! tbm te acho ótima escritora e por certo, uma pessoa interessante.esses encontros virtuais são "do céu".Feliz natal e um 2012 cheio de possibilidades.

Miltextos disse...

Quisera dizer o indizível... ah, quisera...

Beijo do tamanho.

MIRZE disse...

Lindeza de crônica, Ross!

Só tenho amigos virtuais mas são tão reais que às vezes ultrapasso a linha da fronteira....LOUCURA?!

Obrigada por citar meu nome e ter-me como amiga. Nesse caso quem ganha sou eu. Um dia, amiga nos encontraremos.

Obrigada por todo carinho!

Beijão

Mirze

Domingos Barroso disse...

os amigos virtuais ou não
sempre hão de estar
por perto
...


Beijo carinhoso.

Mário Lopes disse...

Teu gesto de nesta convocatória me rodeares de tantos amigos teus que escrevem tão bem me lisongeia, me afaga a alma, mas não me faz esquecer a indelicadeza da minha ausência, mesmo que juntasse algumas justificações amenizadoras. A verdade é que por vezes nos deixámos corromper pela inércia, pelo tanto faz. E no teu caso particular, Rossana, isso não devia acontecer. Pelo que escreves, pelo carinho, pela atenção. Peço as minhas desculpas. Estarei mais por perto. Obrigado por me lembrares. Beijo.

Geraldo de Barros disse...

tenho me repetido aqui: http://sobreoindizivel.tumblr.com/ mas nem todos sabem disso, talvez por preguiça minha, ou por querer ficar quietinho mesmo, ou por qualquer outro motivo, ainda não tenho uma ideia certa sobre isso, mas alguns fazem falta principalmente os que me ajudam a superar meus limites, se os pássaros deixam sem uma parte de seu voo nos galhos, os amigos são ninhos para onde sempre voltamos.
um beijo grande querida ;)
G.